Regispel completa 3 anos de apoio
ao Hospital Pequeno Príncipe em Curitiba

Hospital Pequeno Príncipe

Regispel completa 3 anos de apoio
ao Hospital Pequeno Príncipe em Curitiba

Utilizar o cupom fiscal como veículo de comunicação e captação de recursos financeiros. Essa foi a forma que a Regispel encontrou para colaborar objetivamente a combater os problemas da sociedade brasileira. No Paraná este projeto, denominado Cupom Social-PR, completa 3 anos junto ao Hospital Pequeno Príncipe de Curitiba. Ao adquirir bobinas Regispel o varejista paranaense contribui com o hospital e passa a fazer parte desta corrente do bem.

Neste período, mais de 200 milhões de cupons fiscais foram entregues aos consumidores com a divulgação da campanha. Este resultado colabora diariamente na divulgação do Pequeno Príncipe. Hoje, o maior hospital pediátrico do Brasil faz, anualmente, cerca de 305 mil atendimentos ambulatoriais, 22 mil internações e 20 mil cirurgias em 32 especialidades médicas.

“Os números alcançados nestes 3 anos de parceria são extremamente positivos. Trata-se de um projeto que envolve toda a cadeia de nosso produto”, declara Giancarlo Pizzutto, gerente de marketing da Regispel. “Renovamos este compromisso diariamente, pois sabemos o quão importante é o trabalho desenvolvido pelo Hospital Pequeno Príncipe junto à comunidade paranaense e brasileira”, declara.

A ação possibilita que, mensalmente, mais de 6 milhões de espaços publicitários divulguem o trabalho do Hospital Pequeno Príncipe. “Temos que agradecer aos nossos clientes que participam desta campanha, a adesão de cada um deles é fundamental para que consigamos aumentar nossa doação e apoio ao hospital “, complementa Giancarlo.

Para o Hospital Pequeno Príncipe, parcerias como estas junto a empresas como a Regispel são fundamentais para manter e expandir o atendimento técnico-científico e humanizado. “Só podemos agradecer o apoio de toda a sociedade e de diferentes parceiros que, há quase 100 anos, contribuem para fazer a diferença na vida de milhares de crianças e adolescentes de todo o Brasil que são atendidos em nossa instituição, especialmente pelo SUS, com equidade e muito amor”, agradece a diretora executiva do Hospital Pequeno Príncipe, Ety Cristina Forte Carneiro.

Sobre a Regispel

A Regispel começou suas atividades comerciais em 1981, há exatos 35 anos.

Seu ideal surgiu da união de nove amigos que atuavam a mais de 20 anos no mercado de venda de maquinas registradoras, calculadoras e também maquinas para escritórios de contabilidade, da marca NCR, empresa que desenvolveu o conceito de autosserviço no Brasil em meados dos anos 50.

A empresa se destaca na produção de Bobinas de papel para o mercado de Automação Comercial e Bancária , Contas de ConsumoTickets de Estacionamento, Ingressos para eventos culturais e esportivos, Tags, Etiquetas Auto-AdesivasRótulosEtiquetas Não Adesivas e One cupons.

A Regispel é pioneira no conceito de utilizar seu produto como mídia social. As bobinas térmicas da empresa divulgam em seu verso o trabalho de diversas instituições Não Governamentais como Instituto Ayrton Senna, Fundação Cafu, Hospital Pequeno Príncipe de Curitiba, Instituto do Câncer Infantil de Porto Alegre, ARCD de Joinville e Instituto Guga Kuerten de Florianópolis. Ao todo, são 10 programas sociais relacionando sua marca a entidades idôneas e que praticam o BEM em pró do desenvolvimento sócio educacional brasileiro.  A empresa em 5 anos de campanha já reverteu mais de R$ 500 mil a estas organizações, que ampliaram as oportunidades educacionais de mais de 4 mil crianças.

Sobre o Hospital Pequeno Príncipe

 O Pequeno Príncipe é o maior hospital exclusivamente pediátrico do Brasil. Com sede em Curitiba, atende meninos e meninas de todo país em 32 especialidades. É referência em média e alta complexidade em serviços como a ortopedia, cardiologia, oncologia e transplantes. Destina 70% da capacidade para o Sistema Único de Saúde (SUS) e realiza cerca de 305 mil atendimentos ambulatoriais por ano, 22 mil internações e 20 mil cirurgias. É pioneiro em programas de humanização que se tornaram modelo para todo país, como o Família Participante, que com cuidado humanizado e integral, presta suporte a quase 13 mil acompanhantes dos pacientes – atendidos via SUS – durante a internação.